Por onde eu ando

sábado, janeiro 23, 2010

Tentações.

Mateus 4.1-11 

Mateus 4.1-11.

1 – Então, foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.

2 – e, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;

3 – E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.

4 – Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.

5 – Então o diabo o transportou à Cidade Santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo,

6 – e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra.

7 – Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.

8 – Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles.

9 – E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.

10 – Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás.

11 – Então, o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos e o serviram.

Pináculo:

s. m.

1. A parte mais elevada de um edifício.

2. Cúpula, coruchéu, zingamocho.

3. O cume de um monte.

4. Fig. O mais alto grau; o auge.

Fala pessoal, Paz de Cristo.

Uma das minhas primeiras palavras postadas aqui retiradas da leitura da Bíblia de Estudo Pentecostal que consegui.

É uma excelente Bíblia, pois nos dão excelentes referências, considerações, opiniões, enfim, soma geral.

O texto a que venho falar aqui está em Mateus 4.1-11, fala sobre a tentação de Jesus.

Curto muito esse texto, pois mostra um ensinamento de Jesus, numa fase muito delicada fisicamente, pois havia jejuado 40 dias e 40 noites (v. 2), o que não é fácil. Eu mesmo nunca jejuei direto, tantos dias. Quem já fez, sabe na pele o quanto pesa. Na parte espiritual, nos acrescenta a vera, ou seja, ficamos muito mais fortes, pra agüentar qualquer tranco do inimigo, na verdade, aliado á oração, o inimigo dificilmente chegará perto, salvo se for para Honra e Glória do nome de Jesus, como foi o caso no texto. O maneiro é que no versículo um, ficamos ligados que quem leva Jesus ao deserto, para ser tentado, foi o Espírito Santo. E para que? Pra ser tentado. Amigão esse né?

Claro que é. O Espírito Santo só nos põe na fita boa e quando isso ocorre, ele garante, pois confia na gente, sempre foi assim, basta ver algumas outras histórias mais pra trás.

Voltando ao assunto aqui, no comentário bíblico e faz sentido, eles observaram que Jesus ficou pelo menos na água, pois ficar sem água esse tempo todo poderia fazer com que ele não agüentasse.

No versículo três, que foi a primeira tentação, lembrando que Jesus estava com uma fome de ao menos 40 dias, vemos que o acusador chegou logo de sola, pegando pesado no primeiro lance. Colocou em dúvida a identidade de Jesus e jogando o caô do rango, o que realmente é muito tentador, tanto é que você e eu já comemos e sentimos culpa depois, kkkkk, por muito menos tempo sem rango, kkkkkkk. Mas o acusador é sutil, ele estuda sua possível presa (não se espante, pois aos olhos do capiroto, era como Jesus estava diante dele). Ao colocar em dúvida a identidade de Jesus, poderia causar ira, revolta, mas Jesus, sempre na disciplina, se manteve na boa. Quanto ao rango, o que pra mim foi o mais difícil, kkkkkkkkkkkkkk (gordinhos são fogo mesmo, kkkkkk), Jesus tirou de letra. Já Esaú, não manteve a mesma firmeza, caiu dentro no rango e perdeu a primogenitura (Gênesis 25). Jesus explicou de cara que não só de pão, ou do que mais o inimigo lhe oferecesse, viveria o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus, ou seja, de sua ordenança, de sua ordem. Isso fez com que o demônio ficasse de segunda, mas não o fez desistir. Versículo cinco, o inimigo levou Jesus á Cidade Santa (tá pensando que o diabo não vai lá não, se Deus permitir ele invade qualquer lugar), onde parou no pináculo do templo e novamente mandou sua conversinha fiada. Colocou a identidade de Jesus como filho de Deus á prova novamente e agora mudou o esquema para tentar confundir Jesus com a própria palavra, ainda falou que estava escrito. Só falou isso, pois sabia também, ele é astuto. Mas Jesus, mais sagaz que geral na história, mandou ver conforme versículo sete, informando que também estava escrito para não tentar o Senhor, teu Deus. Deus do derrotado inclusive. Mais um tapa na cara do demônio. Último round. Mais um role pra outro lugar e chegamos a um monte muito alto, de onde era possível ver todos os reinos do mundo e a glória deles. Última investida do inimigo, ele já não coloca em xeque a identidade de Jesus como filho de Deus, mas fala pra Jesus que dará tudo aquilo (glória do mundo? não serve pra nada) se ele prostrado lhe adorar. Tá de brincadeira né? Poderia repetir a do pão então. Jesus, já no limite também né? Pois convenhamos, ele tinha vindo de um jejum punk legal, foi pro deserto pra fazer um mano á mano com o derrotado que veio cheio de conversinha e tal, já era hora do fatality (Moral Kombat) né? Vários rolés de um lado pra outro, só lugar alto e tal, tenha paciência. Jesus mandou logo um vai-te satanás, e deu o papo reto, que só ao Senhor nosso Deus adoraremos e serviremos. Foi o suficiente pro capeta vazar e os anjos lhe servirem.

Show o texto, pois ensina milhares de coisas pra horas e horas de pregação, textos e textos de desenrole aqui no blog e por aí vai.

Vou deixar meu parecer de hoje, pois daqui a um tempo, posso falar desse mesmo texto de outra forma, com outra mensagem ou até mesmo trazer uma mensagem de outra pessoa, enfim, fique á vontade.

Jesus que é nosso mestre, nosso Rei, nosso Pai, a pessoa a quem seguimos, adoramos e imitamos, nos mostrou nessa passagem que podemos vencer sempre o inimigo com a palavra de Deus, desde que a mesma esteja em nós, tanto na mente quanto no coração. Nas três tentativas diretas, Jesus utilizou a palavra de Deus e o inimigo ficou sem argumento. O inimigo não é de bobeira, ele saca tudo nosso, nossas vontades, desejos, brechas, enfim, e será ali que ele nos atacará. Para os dias atuais, cada um desses tipos de tentações utilizados pelo capeta, significa algo em nossa vida. Tentações são presentes á todo o instante em nossas vidas, por isso, devemos estar atentos sempre e jejuando, pois nos fortalece contra essas investidas. Não devemos encarar as tentações como se pudéssemos perder uma e vencer na outra, temos que vencer sempre, como Jesus venceu. Temos a ajuda do Espírito Santo que nos avisa, nos mostra antes de cairmos por conta própria. É claro que sempre haverá o perdão caso haja arrependimento, mas a boa é não ceder ás ciladas do inimigo. Manter-nos firmes não é fácil, pois a todo o instante querem nos derrubar, mas é possível, Jesus nos mostrou.

A cada vitória nossa, é a vitória de Jesus. A cada vitória nossa, persistindo em não cair nas tentações, é o nome de Jesus honrado e glorificado e isso tem que significar algo importante em nossa vida, pois depois que o aceitamos, vivemos só pra ele, só por ele, pois ele vive em nós.

Agradeço á Deus sua misericórdia sob minha vida e sob a vida da minha família, amigos e leitores do blog.

Que Deus abençoe á todos sempre.

Abração.

 

----------------------------------------------------------------------------------

Próximas postagens:

Dicas da Ive e variados.

Um comentário:

Pastoragente disse...

Graça e paz!
Estive aqui para conhecer seu Blog e quero lhe parabenizar por esta bênção. Já me tornei sua seguidora.
Deixo meu convite para que dê uma passada lá no PASTORAGENTE.BLOGSPOT.COM., onde exponho da forma mais divertida e realista possível, as histórias de uma pastora comum como eu.
Se quiser seguir o blog será uma honra para mim.
Que 2010 seja uma bênção, com muita saúde e graça do Pai.
Abração!!!