Por onde eu ando

sábado, fevereiro 20, 2010

Pedaladas…

Fala pessoal, Paz pra geral.
Estive ausente das postagens aqui do blog por alguns dias, mas estou na ativa novamente.
Vou falar sobre algo que pratico desde 2005, que é a pedalada.
Na verdade utilizo a bicicleta como meio de transporte, pois vou e volto para o trampo que fica no Centro do Rj.
Abaixo poderão ver algumas fotos que tirei no Domingo de carnaval, onde fui de bicicleta para o Leblon e voltei.
Um percurso de aproximadamente 18 km só de ida.
Como estou acostumado, foi um belo passeio, pois fui pela orla.
Nesta foto eu partindo para a pedalada.
 Eu camêlo
Eu na Maxwell em frente ao supermercado Extra.
Eu camêlo movimento
Eu e a magrela nos refrescando e pegando uma corzinha, kkkkk.
Eu na praia e camêlo
Eu partindo. Leblon posto 12. Coloquei o polar para marcar o batimento cardíaco.
Eu vazando polar
Pronto pra volta.
Eu partindo
Na ida demorei 95 minutos, pois tive alguns contra tempos.
Fui pelo maracanhã, Praça da Bandeira, Presidente Vargas que tinham carros alegóricos, Av. Rio Branco e orla. Na verdade só peguei a orla após o Flamengo, pois as pistas ficam interditadas, daí uma par de gente corre ou pedala.
Como o percurso era grande, nem fui com velocidade, mas fui no rolé, pra ter fôlego pra chegar e poder voltar.
Na volta demorei um pouco mais por ter que voltar por dentro do Centro, pelo Saara, pois havia um bloco na Av. Rio Branco, daí o pneu traseiro furou.
Fui mais devagar na Presidente Vargas.
Na Radial Oeste tinha um posto BR, daí enchi o pneu pra dar um gás até eu chegar á outro posto, foi o que aliviou.
Durante o trajeto, o visual da ciclovia no geral é muito bacana, pois vai bem perto da areia e tal.
Tem gente correndo, outros pedalando, muito maneiro.
Como eu estava só, mantinha meu rítimo, mas quando alguem me ultrapassava, ela seria meu foco, colava nela pra manter um bom rítimo, com isso pedalava mais no gás.
Algo que me deixava muito bolado eram as pessoas que paravam no meio da ciclovia para limpar os pés da areia ou etc, pensando que fôsse um lugar qualquer.
Como sou muito tranquilo tanto pedalando, como dirigindo e etc, pra mim não pegava tanto, mas tinham outros ciclistas, talvez locais, que xingavam a pampa, quase dava briga.
Eu acho que nessa época, por haver muito mais gente na praia, gente que habitualmente não vai e não tem a manha, não sabe como proceder, dá esses birimbolos.
Embora diariamente eu pedale e conviva com o trânsito pesado, sempre dá aquele frio na barriga.
Sempre oro á Deus pedindo o livramento, pois não é fácil.
Não depende só de mim.
Sou um cara que opta pela direção defensiva, ou seja, nunca pago pra ver.
Se eu achar que não dá pra ir, freio.
Se eu achar que o carro ou busão poderá não me ver ou que mesmo me vendo vai avançar ou tirar fino, não prossigo, freio, subo na calçada, por aí vai.
Até por que o mais fraco dessa cadeia sou eu (ciclista), fora o pedestre.
Uma vez o taxista me atropelou de leve na Praça da Bandeira por falta de atenção.
Eu vinha no sentido dos carros, passei na frente dele, pois ele estava parado na via secundária, respeitando a placa para dar preferência á quem vinha na pista que eu estava.
Eu acho que ele não captou na mente minha passagem e prosseguiu com o carro pra frente olhando para o lado, daí quando ele olhou para frente, lá estava eu, daí ele freiou mas o carro encostou no pneu traseiro o suficiente para me derrubar.
Cai fazendo o rolamento, não só pelo tipo físico, mas pelo aprendizado, kkkkkkkkkkkk e não houveram maiores danos.
O cara parou, perguntou se eu estava legal e tudo, daí como o liberei, seguimos nossas vidas.
Este foi o único acidente, digamos grave até hoje.
Agradeço muito á Deus por isso, pois só ele pra me livrar.
Se todos os motoristas praticassem a direção defensiva, não haveriam tantos acidentes.
Mas é de cada um. tem muita gente nervosa no trânsito.
Minha esposa Déia está afim de começar a pedalar, vamos ver coé.
No meu caso a pedalada me dá mó gás, mas não é o suficiente para eu emagrecer, tenho que ter aliado outros exercícios para poder perder peso, mas auxilia bastante na circulação e no fôlego.
Além do Leblon, fui uma vez do Centro á Cidade Alta e voltei pro Grajaú de bicicleta, com meu amigo do trabalho, João.
Lá foi mais frenesi ainda pois foi pela Av. Brasil.
Fuçando na net, achei um site bacana sobre algumas dicas sobre como pedalar com segurança, vale a pena checar: Pedalar no Trânsito.
Chapa quente.
Bom, vou parando por aqui.
Que Deus te abençoe sempre.
Abç.
Paz.
-------------------------------------------------------------------------------
Som que curti durante a postagem: Jamal – Paz e Glória – Estou Aqui.
------------------------------------------------------------------------------
Palavra para meditação: 1 Pedro 1.7
“Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo.”

4 comentários:

Fábio Carlos disse...

aeeee

quero ver partir pra NI City

já pedalei muito, mas agora tou paradao de bike, depois que digamos eu peguei um documento chamado CNH eheheh

MarcosAndré disse...

Rapaz,a bicicleta e a formiga são os únicos seres que suportam trezentas vezes o próprio peso.

MarcosAndré disse...

Brincadeira,irmaozão.Nada como um bom esporte para menter o coração em forma.Eu também já dei minhas pedaladas(não como o Robinho).Preciso retomar o hábito!

Ana claudia Stelet Moreno da Silva disse...

Oi Stol. Passando para agradecer sua consideração na postagem do meu avô. Gostei da postagem, agora vc tem que se preparar para as olimpiadas, rsrsrs (brincadeira). Mas vc é que está certo, pois temos que nos exercitar e cuidar do templo do Espirito santo, né? Grande abraço, paz.